Áreas de Intervenção

 
 
 

CIRURGIA ORAL

 

 
Cirurgia Oral é a especialidade da Medicina Dentária dedicada à prevenção, diagnóstico e tratamento de alterações, lesões e patologias da cavidade oral e estruturas anexas. A correção das alterações e patologias da cavidade oral permite melhorar significativamente a capacidade estética e funcional, nomeadamente as funções fonéticas, de mastigação e deglutição, em muitos casos com resultados visíveis na autoconfiança e envolvimento social dos pacientes. Casos clínicos mais complexos exigem que outras especialidades como a Implantologia, a Ortodontia, a Prostodontia, ou a Periodontologia, trabalhem em articulação com a Cirurgia Oral, privilegiando-se nestas situações um plano de tratamento integrado e multidisciplinar. Pelo facto de lidar com procedimentos cirúrgicos muitas vezes complexos, a equipa clínica integra uma médica anestesista, possibilitando deste modo que com toda a segurança e conforto para o paciente algumas intervenções sejam realizadas sob anestesia geral.
 
 
 
 
 
 
 
 

Tratamentos Cirúrgicos

 
Extrações
 
 
 
Remoção de Quistos e Tumores
 
 
 
 
 
Extrações Cirúrgicas de Dentes Inclusos
 
 
 
Tratamento de Deformações Dentárias e Esqueléticas
 
 
 
 
 
 

DENTISTERIA ESTÉTICA

 
A Dentisteria Restauradora e Estética é a especialidade da Medicina Dentária responsável pela restauração de dentes que apresentem lesões de cárie, alterações de forma ou coloração, fraturas dentárias, dentes com restaurações escuras antigas e inestéticas, restituindo deste modo a aparência original dos dentes.

Para além de contribuir para uma melhoria das funções orais, através das mais diversas técnicas, a Dentisteria devolve ao paciente um sorriso saudável e bonito, contribuindo para um incremento da estética, autoconfiança e envolvimento social.
 
 
 
Podemos incluir aqui tratamentos tais como:

1. Dentes com fraturas
2. Substituição de restaurações de amálgama de prata (chumbos pretos antigos) por restaurações em cerâmica (inlays/onlays)
3. Encerramento de Diastemas (espaços entre os dentes)
4. Dentes com forma ou posição alterada
5. Dentes descolorados ou com manchas
6. Ausências de dentes (pontes ceramicas apoiadas sobre dentes naturais ou sobre implantes)
 
 
 
 
 
 

OCLUSÃO E DISFUNÇÃO TEMPORO MANDIBULAR

A oclusão é a área da Medicina Dentária que se ocupa das relações entre a arcada dentária maxilar e a mandibular e as suas implicações com os restantes elementos do sistema estomatognático (dentes, gengiva, ossos, músculos, ligamentos, articulação temporomandibular). As manifestações clínicas de problemas na articulação temporomandibular (ATM) dividem-se em 2 grupos: dor, que leva os pacientes à consulta; e disfunção, ausência ou alteração da função do sistema estomatognático. Existem uma série de sinais e sintomas muito característicos dos pacientes com DTM (disfunção temporomandibular).
 
 
Tratamento da Disfunção da Articulação Temporo Mandibular
 
 
 
Sintomas
 
 
 
Sinais dentários
 
 
 
Tratamento
 
 
 
 
 
 
 
 
 

HIGIENE ORAL


 
A consulta de Higiene Oral e Medicina Dentária Preventiva, executada por uma Higienista Oral é de extrema importância porque para além de interagir com todas as outras especialidades da Medicina Dentária, contribuirá para uma melhoria da sua saúde oral bem como para um maior sucesso e durabilidade dos tratamentos efetuados. A Higienista Oral tem como principais responsabilidades:
Divulgar aos pacientes a importância de uma boa higiene oral para a obtenção de uma ótima saúde oral e estética dentária.
Adequar o plano de consultas de destartarização e controlo às necessidades de cada paciente.
Utilizar jato de bicarbonato para remoção de pigmentações extrínsecas.
Manter uma boa saúde gengival e periodontal em pacientes que foram submetidos a tratamentos de ortodontia e/ou de reabilitação oral com próteses e implantes.
As consultas de manutenção em pacientes submetidos a tratamentos de periodontologia.
Realização de selantes de fissuras e aplicações tópicas de flúor para prevenção da cárie dentária.
Aplicação de geles para tratamento da hipersensibilidade dentária.
Execução de branqueamento dentário (branqueamento externo).
 
 
 
 
 

IMPLANTOLOGIA

A Implantologia é a especialidade da Medicina Dentária dedicada à reabilitação das ausências dentárias através da colocação de implantes. A falta de conforto e confiança, sobretudo relacionada com os embaraços sociais, são aspetos associados ao uso de próteses removíveis. Por outro lado, a pressão exercida pelas próteses removíveis pode danificar os dentes adjacentes, bem como os tecidos moles, que em casos extremos conduz à reabsorção óssea e perda da estrutura de suporte dos dentes. Nesse sentido, os implantes apresentam vantagens notórias, não só no aspeto funcional e estético, mas contribuindo também para um incremento significativo da autoconfiança do paciente. Produzidos em titânio, um metal biocompatível com os tecidos humanos, os implantes funcionam como raízes artificiais sobre as quais são colocadas coroas unitárias ou pontes fixas que substituem na perfeição a dentição natural, oferecendo ao paciente uma excelente função estética e mastigatória. O extraordinário sucesso desta técnica resulta do fenómeno de osteointegração que faz com que ao fim de algum tempo o implante esteja perfeitamente incorporado na estrutura óssea do maxilar. Em implantologia podemos distinguir dois tipos de reabilitações:
 
 
Reabilitações Mistas
 
 
 
Reabilitações Totais Sobre Implantes
 
 
 
Fases de Tratamento
 
 
 
 
 
Artigo Clínico sobre a Aplicação Cirúrgica de PRF e CGF
 
 
 
Uso de Fatores de Crescimento PRF e CGF
 
 
 
 
 
 
 

BRANQUEAMENTO

 

 
O sorriso é uma das primeiras coisas que os outros reparam em nós. Se temos dentes escurecidos, pigmentados, disformes, fracturados, com espaços entre eles ou simplesmente mal posicionados, isso pode afectar o modo como interagimos com as outras pessoas, ao inibir a nossa vontade de rir e sorrir. O escurecimento dos dentes pode ocorrer por diversas causas como: idade, alimentos corados, fumo, entre outros. O branqueamento dentário pode ser feito no consultório ou em casa.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

ORTODONTIA


 
A Ortodontia é a área da medicina dentária que envolve o diagnóstico, prevenção e tratamento dos problemas causados por dentes que não se articulam de maneira harmoniosa, devido à má posição destes e dos maxilares.
O início do tratamento dá-se através de um estudo que envolve a análise cefalométrica da radiografia de perfil, análise dos modelos da boca, análise das fotografias e da história clínica. Só a partir desse estudo é que se poderá saber qual o tipo de aparelho a utilizar, podendo ser necessário aplicar aparelhos removíveis, fixos e/ou biomecânicos.
A duração dos tratamentos ortodônticos dependem de vários fatores podendo demorar meses ou anos, mas em média duram entre 1,5 - 2 anos.
Um bom alinhamento dentário permite uma relação correta entre as arcadas, obtendo-se um melhor equilíbrio estético dentário, facial, oclusal e funcional.
Esta área de intervenção melhora a oclusão dentária, promovendo uma melhor distribuição das forças exercidas sobre os dentes, protegendo-os de traumas na gengiva, osso e ligamentos.
 
 
 
 
 
 

ORTODONTIA

 
Em que casos são indicados os aparelhos removíveis?
 
 
 
Qual é a idade para iniciar um tratamento com aparelho removível?
 
 
 
Os aparelhos removíveis movimentam os dentes de leite?!
 
 
 
 
 
Como sei se meu filho(a) está com problemas e precisa de tratamento?
 
 
 
Como posso saber se está na hora de tratar?
 
 
 
E quais são os tipos de aparelhos removíveis?
 
 
 
 
 
Tratamento ortodontico fixo é igual ao removível funcional?
 
 
 
E quanto tempo leva um tratamento ortopédico com aparelho removível?
 
 
 
Então tratamento com aparelho removível só serve para crianças?!
 
 
 
 
 
E quanto pode custar um tratamento com aparelho removível?
 
 
 
 
 
 
 
 

PERIDONTOLOGIA ESTÉTICA

Cirurgia plástica periodontal. É normalmente usada nos procedimentos estéticos para melhor a harmonia gengival e os níveis de estética branco/rosa do sorriso.
 
 
1º Etapa
 
 
 
2º Etapa
 
 
 
Etapa Final
 
 
 
 
 
 

PRÓTESE FIXA

 
A Prótese Fixa é a área da Medicina Dentária responsável pela restauração parcial ou total da coroa de um dente através de uma prótese que é colocada sobre o dente natural previamente preparado e/ou sobre implantes dentários, não podendo ser removida pelo paciente. Poderá ainda ser utilizada para a substituição de um ou mais dentes partidos. As próteses fixas podem ser coroas ou pontes e têm como objetivo reproduzir ao máximo a dentição natural.
Os dentes quando têm as raízes em bom estado mas que já se encontram com a coroa muito partida e/ou restaurada e cuja viabilidade e resistência da restauração é muito limitada têm uma boa indicação para a colocação de coroas. Uma coroa permite recobrir de forma artificial um dente que está parcial ou totalmente destruído. Pode ser também necessário proteger com coroas dentes desvitalizados, fraturados, ou já com grandes reconstruções.
As coroas poderão também estar indicadas nos casos em que é necessário melhorar a estética, o formato ou o alinhamento dos dentes na arcada dentária.
A prótese fixa é a solução ideal nos casos em que faltam poucos dentes, não só pelo conforto como pela estética.
Quando existem espaços desdentados pequenos e dentes que poderão servir como bons pilares poderá haver uma boa indicação para o planeamento e execução de uma ponte.
 
 
 
As Pontes são utilizadas para a substituição de um ou mais dentes inexistentes, apoiando-se em dentes vizinhos que são preparados da mesma forma que para a colocação das coroas. As pontes são cimentadas definitivamente funcionando como dentes naturais. Em certos casos os dentes vizinhos não necessitam de coroas, servindo de apoio a uns retentores colados.

Em síntese, as próteses fixas estão indicadas nas seguintes situações:
• Substituição de uma grande restauração quando não resta muita estrutura de dente natural;
• Proteção de um dente enfraquecido que sofreu uma fratura;
• Aumentar a retenção e suporte de uma prótese removível esquelética;
• Substituição de um dente ausente colocando-a sobre um implante dentário;
• Recobrir um dente com alteração da cor ou forma;
• Proteção de dentes desvitalizados em que a estrutura dentária remanescente está fragilizada;
• Substituição de dentes ausentes.
As coroas ou pontes comportam-se como dentes naturais pelo que a sua higiene e manutenção exige ao paciente os mesmos cuidados que este deve ter com a dentição natural.
 
 
 
 
 
 

PRÓTESE REMOVÍVEL

 
O que são Próteses Removíveis?
 
 
 
Ao fim de quanto tempo consigo adaptar-me às minhas próteses?
 
 
 
Quanto tempo dura uma prótese?
 
 
 
 
 
Como funcionam as próteses removíveis?
 
 
 
Aqui tem alguns conselhos para cuidar das suas próteses:
 
 
 
 
 
 

Serviços

A clínica dentária Maxodontia oferece um vasto conjunto de serviços médico-dentários, com vista a total satisfação das necessidades e bem-estar dos seus clientes.
 
 
  • Endodôncia
  • Dentisteria Operatória
  • Periodontologia / Cirurgia de Implantes
  • Prótese Fixa e Removível
  • Tratamento das Disfunções Temporo Mandibulares
  • Ortodôncia
 
 
 
  • Oclusão
  • Odontopediatria
  • Cirurgia Oral
  • Higiene Oral
  • Branqueamento Dentário
  • Dentisteria Estética
  • Fisioterapia da ATM
 
 
 
 
 
 
 
 
 

ENDODÔNTIA


 
Com os tratamentos de endodôntia, que é designado por “desvitalização”, é possível conservar o seu dente em boca por mais tempo sem necessidade de recorrer a extração e a reabilitação do espaço desdentado.

Na nossa clínica, Maxodontia, temos tecnologias e técnicas para proporcionar um tratamento de qualidade num ambiente acolhedor e de confiança.

Temos a possibilidade de proporcionar tratamentos, retardamentos e microcirurgia endodôntia, com o máximo profissionalismo



 
 
 
 
 

ODONTOPEDIATRIA

 

 
A Odontopediatria é uma especialidade que se dedica à saúde oral das crianças, adolescentes, grávidas e pacientes com necessidades especiais.
A regularidade deste tipo de consulta depende sempre de cada criança, mas a recomendação será 6 em 6 meses , ou uma vez ao ano.

Qual o objetivo de um tratamento dentário em crianças?

O tratamento dentário em crianças, é essencial para prevenir:
  • dor e infecções orais;
  • a ocorrência e progressão de cáries;
  • a perda precoce de dentes;
  • a perda de espaço para erupção dos dentes definitivos;
  • para habituar a criança ao dentista e diminuir a associação entre dor e tratamento dentário.
 
 
 
 
 
 
 

CONSULTA DE MEDICINA DENTÁRIA E SONO

Apnéia do sono - Visão geral e Fatos
A apneia obstrutiva do sono é um distúrbio comum e grave do sono que faz com que você pare de respirar durante o sono. As vias aéreas ficam repetidamente bloqueadas, limitando a quantidade de ar que atinge seus pulmões. Quando isso acontece, você pode roncar alto ou emitir sons sufocantes ao tentar respirar. Seu cérebro e seu corpo ficam sem oxigênio e você pode acordar. Isso pode acontecer algumas vezes por noite, ou em casos mais graves, várias centenas de vezes por noite. Em muitos casos, uma apneia ou pausa temporária na respiração é causada pelo colapso do tecido na parte posterior da garganta. Os músculos das vias aéreas superiores relaxam quando você adormece. Se você dorme de costas, a gravidade pode causar a queda da língua. Isso estreita as vias aéreas, o que reduz a quantidade de ar que pode atingir seus pulmões. As vias aéreas estreitas causam ronco, fazendo o tecido na parte de trás da garganta vibrar enquanto você respira. A apneia do sono pode fazer você acordar de manhã se sentindo cansado ou não atualizado, mesmo que tenha tido uma noite inteira de sono. Durante o dia, você pode se sentir cansado, com dificuldade de concentração ou até mesmo sem querer adormecer. Isso ocorre porque seu corpo está acordando várias vezes durante a noite, mesmo que você não esteja consciente de cada despertar. A falta de oxigênio que seu corpo recebe pode ter consequências negativas a longo prazo para sua saúde. Isso inclui: Pressão alta, Doença cardíaca, Acidente vascular encefálico, Pré-diabetes e diabetes, Depressão.
Há muitas pessoas com apneia do sono que não foram diagnosticadas ou receberam tratamento. Um médico de medicina do sono pode diagnosticar apneia obstrutiva do sono usando um estudo de sono em laboratório ou um teste de apneia do sono em casa. A apneia do sono é administrável usando a terapia com pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP), o tratamento de linha de frente para apneia do sono, terapia com aparelho oral ou cirurgia. A apneia obstrutiva do sono em adultos é considerada um distúrbio respiratório relacionado ao sono. Causas e sintomas diferem para apneia obstrutiva do sono em crianças e apneia central do sono.

Apneia do sono - sintomas e fatores de risco
Sintomas
O sintoma mais comum da apneia do sono é o ronco. No entanto, nem todo mundo que ronca tem apneia do sono. O ronco provavelmente é um sinal de apneia do sono quando é seguido por pausas respiratórias silenciosas e sons de engasgo ou ofegante. Pessoas com apneia do sono geralmente apresentam sonolência ou fadiga durante o dia.

Os sintomas comuns da apneia do sono incluem:
Ronco alto ou frequente
Pausas silenciosas na respiração
Sons sufocantes ou ofegantes
Sonolência diurna ou fadiga
Sono não refrescante Insônia
Dores de cabeça matinais
Noctúria (acordando durante a noite para ir ao banheiro)
Dificuldade de concentração
Perda de memória
Diminuição do desejo sexual
Irritabilidade

Fatores de risco
O principal fator de risco para apneia do sono é o excesso de peso corporal. É muito mais provável que você tenha apneia do sono se estiver com sobrepeso ou obesidade. No entanto, a apneia do sono também pode ocorrer em pessoas magras.
Fatores de risco comuns para apneia do sono incluem:
Excesso de peso - Seu risco de apneia do sono é maior se você estiver acima do peso com um índice de massa corporal (IMC) igual ou superior a 25 ou obeso com um IMC igual ou superior a 30.
Tamanho grande do pescoço - Seu risco de apneia do sono é maior se você tiver um tamanho de pescoço de 17 polegadas ou mais para homens ou 16 polegadas ou mais para mulheres. Um pescoço grande tem mais tecidos moles que podem bloquear as vias aéreas durante o sono.
Meia-idade - A apneia do sono pode ocorrer em qualquer idade. No entanto, é mais comum entre a idade adulta jovem e a meia idade.
Sexo masculino - A apneia do sono é mais comum em homens do que em mulheres. Para as mulheres, o risco de apneia do sono aumenta com a menopausa.
Hipertensão - A pressão alta é extremamente comum em pessoas que têm apneia do sono.
História familiar - A apneia do sono é uma condição hereditária. Isso significa que você tem um risco maior de apneia do sono se um membro da família também a tiver. Características herdadas que aumentam o risco de apneia do sono incluem obesidade e características físicas, como uma mandíbula recuada. Outros fatores familiares comuns - como atividade física e hábitos alimentares - também podem desempenhar um papel.


Visita do médico
Um médico certificado em medicina do sono pode diagnosticar a apneia obstrutiva do sono usando um estudo de laboratório ou um teste de apneia do sono em casa. Um médico do sono certificado pelo conselho tem treinamento e experiência no diagnóstico e tratamento da apneia do sono. O médico precisará conhecer seus sintomas e se eles começaram quando você ganhou peso ou parou de se exercitar. Se puder, pergunte a um parceiro ou colega de quarto ou parente se eles já ouviram você roncar alto ou fazer ruídos sufocantes durante o sono. Você também pode precisar manter um diário de sono por duas semanas. Isso inclui informações sobre a que horas você foi dormir todas as noites, quando acordou de manhã e quantas vezes acordou todas as noites. Isso ajudará o médico a ver seus padrões de sono, que podem conter pistas sobre como diagnosticar e corrigir seu problema de sono. Um médico de medicina do sono também tentará determinar se há algo mais que esteja causando problemas no sono ou piorando os sintomas, como:

Outro distúrbio do sono
Uma condição médica
Uso de medicamentos
Um distúrbio de saúde mental
Abuso de substâncias
Teste

Uma avaliação objetiva do seu sono pode ser necessária antes que seu médico certificado pelo conselho possa fazer um diagnóstico. As opções incluem:

Estudo de sono durante a noite em laboratório
Esse tipo de estudo do sono exige que você passe a noite em um centro de sono, em uma cama que possa se parecer com um quarto de hotel. Você dormirá com sensores conectados a várias partes do seu corpo. Esses sensores registram suas ondas cerebrais, batimentos cardíacos, respiração e movimento. Os médicos geralmente recomendam um estudo do sono para casos mais complexos. Um estudo de sono em laboratório é a opção mais cara. Mas é coberto pela maioria dos planos de saúde. Um estudo noturno do sono também fornece ao seu médico as informações mais completas sobre o seu sono. Saiba mais sobre um estudo noturno do sono. Consulte Mais informação...

Teste de apneia do sono em casa
Alguns pacientes com altos fatores de risco para apneia obstrutiva do sono e nenhum outro distúrbio médico podem ser candidatos a um teste de apneia do sono em casa. Esse tipo de estudo do sono permite que você durma no conforto da sua casa, enquanto um monitor pequeno coleta dados enquanto você dorme. O equipamento de teste difere por ser menos complicado do que o que é usado em um estudo noturno do sono. A equipe do centro de sono mostrará como conectar o equipamento de teste você mesmo.


Apneia do sono - tratamento
A apneia do sono é um distúrbio grave do sono que precisa ser tratado. Um médico do sono certificado pelo conselho pode ajudá-lo a selecionar um plano de tratamento adequado para você. Dependendo do tratamento, ele ou ela pode trabalhar em colaboração com outros membros da equipe do sono, incluindo dentistas, psicólogos, assistentes médicos, enfermeiros e tecnólogos. Seu plano pode incluir qualquer combinação desses tratamentos:

CPAP (pressão positiva contínua nas vias aéreas)
O CPAP é uma máquina que utiliza um fluxo constante de ar para manter suavemente as vias aéreas abertas durante a noite, para que você possa respirar. Você dorme com uma máscara com uma mangueira presa a uma máquina mantida ao lado da cama. Máscaras e máquinas podem variar de acordo com suas necessidades de tratamento e conforto. O CPAP é o tratamento da linha de frente da apneia obstrutiva do sono e é recomendado para todos os casos. Leia mais sobre o CPAP…

Terapia com Aparelho Oral
Um aparelho para uso oral é um dispositivo que cabe na boca sobre os dentes enquanto você dorme. Pode parecer um protetor bucal esportivo ou um retentor ortodôntico. O dispositivo evita o colapso das vias aéreas, mantendo a língua na posição ou deslizando a mandíbula para a frente, para que você possa respirar enquanto dorme. Alguns pacientes preferem dormir com um aparelho oral a uma máquina de CPAP. Um dentista treinado em medicina dentária do sono pode equipá-lo com um aparelho bucal após o diagnóstico de apneia do sono. A terapia com aparelho oral é recomendada para pacientes com apneia leve a moderada que não toleram o CPAP. Leia mais sobre terapia com aparelho oral ...

Cirurgia
As terapias cirúrgicas não são tão eficazes no tratamento da apneia do sono quanto o CPAP e os aparelhos orais. Você pode optar por várias opções cirúrgicas se o CPAP ou a terapia com aparelho oral não funcionar para você. As opções mais comuns reduzem ou eliminam o tecido extra na garganta que entra em colapso e bloqueia as vias aéreas durante o sono. Procedimentos mais complexos podem ajustar as estruturas ósseas, incluindo a mandíbula, o nariz e os ossos faciais. A cirurgia para perda de peso também pode ser uma opção. Converse com seu médico de medicina do sono sobre qual cirurgia é ideal para você. Saiba mais sobre a cirurgia para apneia do sono…

Controle de Peso
Em alguns casos, a perda de peso pode ajudar a melhorar ou eliminar os sintomas da apneia do sono se você estiver com sobrepeso ou obesidade. Pessoas com sobrepeso geralmente têm pescoços grossos com tecido extra na garganta que pode bloquear as vias aéreas. Não há garantia de que a perda de peso elimine a apneia do sono, embora possa ajudar. É improvável que essa abordagem faça diferença nos pacientes com passagem nasal estreita ou via aérea

Terapia Posicional
A terapia posicional é uma estratégia comportamental para o tratamento da apneia do sono posicional. Algumas pessoas têm apnéia do sono principalmente quando dormem de costas. Isso é chamado de posição "supina". Sua respiração volta ao normal quando eles dormem de lado. A terapia posicional pode envolver o uso de um dispositivo especial na cintura ou nas costas. Mantém você dormindo na posição lateral. Outra opção é um pequeno dispositivo que usa a tecnologia "feedback vibro-tátil". Usada na parte de trás do pescoço, vibra suavemente quando você começa a dormir de costas. Sem acordar você, a vibração alerta seu corpo para mudar de posição. A terapia posicional pode ser usada sozinha ou em conjunto com outro tratamento para apneia do sono.

Mudancas de estilo de vida
Há várias mudanças no estilo de vida que você pode fazer para ajudar a reduzir o ronco e melhorar os sintomas da apneia do sono. Alterações comportamentais, como parar de fumar ou não beber álcool, podem melhorar os sintomas da apneia do sono. O álcool relaxa os músculos da garganta, o que pode causar roncos ou o colapso das vias aéreas. Se você tem alergia, tomar um descongestionante antes de dormir pode ajudar a melhorar o fluxo de ar pelo nariz.

Se você tem dificuldade em permanecer com seu plano de tratamento ou não consegue dormir mesmo com o tratamento, seu médico pode recomendar terapia cognitivo-comportamental. Um especialista em sono comportamental o ajudará a eliminar os pensamentos e comportamentos que o impedem de ter um sono reparador ou de cumprir seu tratamento.

Para saber mais clique em: http://sleepeducation.org.